Gerenciamento de informações dos clientes

O contexto atual: a Internet das Coisas e a Explosão de Dados

Analisando os dados coletados dos clientes, é possível prever os seus comportamentos, em termos de o que, quando, como, onde e por que eles compram.

Durante os anos 2000, a taxa de crescimento de dispositivos conectados à Internet, especialmente computadores e celulares, começou a superar ao da população global. Em 2008, haviam mais dispositivos conectados à Internet do que pessoas no mundo. 

Essa tendência irá aumentar, mas não serão apenas os computadores e dispositivos móveis na liderança da próxima onda. De acordo com o Gartner, até 2020, haverá 26 bilhões de dispositivos  conectados à Internet das Coisas, desde termostatos e carros até ferramentas médicas de diagnóstico e bolas de basquete.

Apesar de sua enormidade, essas figuras são superficiais. A Cisco estima que pode chegar até 50 bilhões de dispositivo até 2020, enquanto a IDC extrapola com uma previsão de 212 bilhões. O único aspecto maior do que a "internet das coisas"  será o tsunami de dados liberado. Bilhões de itens conectados à Internet se tornarão coletores de dados, produzindo uma avalanche de informações. Esse fluxo constante de dados pode fornecer insights em tempo real e informações gerais sobre os clientes.

Como as empresas poderão utilizar todos esses dados sem se afogar?

O dilema da avalanche de dados não é novo

A maior parte dessa sobrecarga de informações virá na forma de "dados negros". Conforme a Pitney Bowes , dados negros é um termo (criado antes do surgimento da Internet das coisas) para as informações que os negócios coletam e armazenam, mas que permaneceram paradas, uma vez que não são usadas para propósitos analíticos. Os dados negros incluem informações demográficas dos clientes, históricos de compras, níveis de satisfação e outros dados.

Imagine todo o potencial não utilizado dos dados negros.

Quando usados seletivamente, como para entender melhor os clientes, os dados negros são inestimáveis para as empresas, uma vez que permite que elas descubram insights adicionais de maneira mais eficiente.

Mas existe "algo bom" quando se trata de dados? A Internet das coisas pode ter a mesma probabilidade de criar novas oportunidades para negócios que aproveitam adequadamente essas informações, uma vez que aprofundam e obscurecem ainda mais os dados negros para aqueles que acumulam dados incomuns.

Não seja um acumulador de dados, aprenda como usufruir destes dados

Conforme a Internet das Coisas cresce, os observadores da indústria têm entrado rapidamente em alerta. Alguns estão tão preocupados com sobrecarga de dados, e vulnerabilidades da segurança, que solicitaram uma declaração de direitos para reger como os dados são coletados e compartilhados pela internet das coisas.

Mesmo que esses esforços de macro tenham sucesso, a responsabilidade no fim será das empresas de não se tornarem "acumuladores de dados". A Pitney Bowes ajuda as empresas a adotarem uma mentalidade de "use ou perca" os dados negros. Ao invés de afogar as empresas em mais dados, nós ajudamos a organizarem e utilizarem de maneira seletiva as informações.

Com a nossa plataforma de análise, Spectrum Uplift™, os negócios podem aproveitar todas as informações sobre os principais mercados e histórico de compras dos clientes para identificar os "persuasíveis" que têm mais chances de serem influenciados pelas ações de marketing, ao invés de desperdiçar recursos em pessoas decididas (aquelas que comprarão de qualquer maneira), as "causas perdidas" (aquelas que não irão) e os "sleeping dogs" (aquelas que podem reagir negativamente).

Sem uma ferramenta para gerenciar os dados e obter tendências e padrões, as informações usadas para formar esses segmentos de mercado irão ficar sem direção e propósito. Esse aglomerado de dados é o que distrai os negócios e evita que eles realizem até mesmo as práticas de análise de dados básicas que eram comuns antes da evolução da internet das coisas. Essa é uma vantagem competitiva que não pode ser comprometida.

Os dados negros contêm uma variedade de informações, e com as ferramentas certas, os negócios podem descobrir o seu potencial.

(Artigos em inglês)